Um pouco sobre a vida nos residenciais para idosos

Esta é uma matéria escrita pelo jornalista Edison Veiga para ESTADÃO, contando um pouco sobre como é a vida de alguns idoso que moram em residenciais para a terceira idade em São Paulo. 



Trechos das Entrevistas:

"Viver aqui é como morar em um hotel cinco-estrelas", conta Anna Lyrs Guimarães de Carvalho, de 87 anos. Ela vive em um residencial para idosos há cinco anos. "Fiquei viúva e aí quis me mudar para cá. Saio e entro na hora que quero e tenho uma vida com muita autonomia", conta Anna, que na véspera da conversa com a reportagem tinha almoçado em um shopping com as amigas.


Aos 91 anos, a simpática Elza Gouveia Marques vai além: ela "trabalha" de dentro do asilo. "Vivo de renda. Então, preciso cuidar de minhas finanças, não é? Meu genro até tem procuração, caso precise resolver algo. Mas prefiro tomar conta de tudo", diz.


Residenciais citados na reportagem:

  • Residencial Lar Sant'AnaInaugurado em 1972 e mantido pela Liga Solidária - antiga Liga das Senhoras Católicas -, o Lar Sant'Ana fica no bairro Alto de Pinheiros, na zona oeste da cidade de São Paulo, e tem capacidade para atender 120 idosos. (Clique aqui e conheça mais)

  • Residencial Santa Catarina: Mantido pela Associação Congregação de Santa Catarina - mesma instituição filantrópica que gere o Hospital Santa Catarina -, fica no bairro do Paraíso, perto da Avenida Paulista. Existe desde 2000 e atualmente é casa de 95 idosos. (Clique aqui e conheça mais)

  • Residencial Verbo Amar: Funciona desde 2008 na Granja Viana, condomínio em Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo e abriga 14 residentes. (Clique aqui e conheça mais)

  • Geros Center: É um espaço que oferece atividades para pessoas que atingiram a maturidade, ativas, independentes e interessadas em fazer amigos, se divertir e manter a forma física e saúde mental. (Clique aqui e conheça mais)


Qual o papel do psicólogo em instituições de longa permanência para idosos?

O Psicólogo é profissional responsável pelo cuidado com a saúde emocional, psicológica e mental dos idosos, bem como pelo apoio emocional à família. Auxilia o Idoso com suas múltiplas perdas no processo de adaptação à sua nova realidade, na avaliação comportamental e na reabilitação cognitiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário