Reflexões Humanistas – Carl Rogers


Segundo post da série - Reflexões Humanistas

 ·        Como poderei criar uma relação de ajuda?


1- Poderei conseguir ser de uma maneira que possa ser apreendida pelo outro como merecedora de confiança, como segura ou consistente no sentido mais profundo do termo? Tanto a investigação como a experiência nos indicam que isso é muito importante e, com o decorrer do tempo, encontrei respostas que julgo serem melhores e mais profundas para esta questão. Parecera-me que se apresentasse todas as condições exteriores que inspirassem confiança – a pontualidade nas entrevistas, o respeito pela natureza confidencial das entrevistas, etc. – e se eu agisse da mesma maneira durante as entrevistas , estas condições estariam cumpridas. A experiência, porém, ensinou-me que, por exemplo, o fato de me comportar com uma atitude permanente de aceitação  se na realidade me sentir irritado, cético ou com qualquer outro sentimento de não aceitação, acabaria que fosse considerado com inconsistente ou não merecedor de confiança. Comecei a reconhecer que ser digno de confiança não implica ser coerente de uma forma rígida, mas sim que se possa confiar em mim como realmente sou. Empreguei o termo “congruente” para descrever o modo como eu gostaria de ser. Com este termo pretendo dizer que qualquer atitude ou sentimento que esteja experienciando se adapta a consciência que tenho desse sentimento ou dessa atitude. Quando isso é verdade, então eu sou nesse momento uma pessoa unificada e integrada e é então que posso ser quem sou no mais intimo de mim mesmo. Esta é uma realidade que, por experiência, proporciona aos outros confiança.
Carl Rogers – Tornar-se Pessoa


Nenhum comentário:

Postar um comentário